Novembro Azul: MITOS X VERDADES sobre o Câncer de Próstata!

Novembro Azul: MITOS X VERDADES sobre o Câncer de Próstata!

No Brasil, os homens vivem em média 7 anos a menos do que as mulheres… E, ainda assim, eles não têm o hábito de ir ao médico regularmente. Dados do Ministério da Saúde mostram que um terço dos brasileiros não se cuida como deveria e 70% dos homens brasileiros só vão ao médico por influência da família. A falta de procura por médico e principalmente um check-up anual, aumenta as chances de detecção de doenças em estágio avançado, como o câncer de próstata.

Conheça alguns mitos e verdade sobre o Câncer de Próstata:

O câncer de próstata é uma doença do idoso.

MITO: Como regra geral, podemos dizer que a incidência do câncer de próstata guarda certa relação com a idade. Ou seja, é de 50% na faixa dos 50 anos de idade, cerca de 70% aos 70 anos, e assim por diante. Apesar de o risco para a doença aumentar significativamente após os 50 anos, cerca de 40% dos casos são diagnosticados em homens abaixo desta idade. Entretanto, a doença é rara antes dos 40 anos. Embora três quartos do número de casos no mundo acometem homens acima dos 65 anos de idade, sete novos casos da doença surgem a cada hora. Portanto, homens de todas as idades devem ficar atentos aos fatores de risco.

Ter pai, irmão ou tio com doença aumenta meu risco.

VERDADE: A hereditariedade é um dos principais fatores de risco para a doença. Um parente de primeiro grau com a doença duplica minha chance. Dois familiares ou mais com a doença aumentam essa chance em cinco ou até dez vezes. Para quem tem casos na família, o recomendado pela Sociedade Brasileira de Urologia é procurar um urologista a partir dos 40 anos.

PSA aumentado é sinal de que tenho câncer de próstata.

MITO: Quando o homem envelhece, sua próstata começa a aumentar. Esse processo é chamado de hiperplasia prostática benigna e não está relacionada ao câncer de próstata.

O sedentarismo pode aumentar o risco para desenvolvimento do câncer de próstata.

VERDADE: “O sedentarismo e a obesidade estão relacionados a alterações metabólicas que podem levar a alterações moleculares responsáveis pela gênese da neoplasia”, afirma Célio Nascimento, urologista do Hospital IGESP.

A atividade física regular tem um papel relevante na prevenção e no tratamento.

VERDADE: Essa prática saudável pode agir de modo protetor e tem sido um fator modificável para o câncer de próstata por causa dos seus potenciais efeitos: fortalecimento imunológico, prevenção da obesidade, capacidade do exercício em modular os níveis hormonais, redução do estresse.

Todos os casos de câncer de próstata precisam de tratamento.

MITO: A indicação da melhor forma de tratamento vai depender de vários aspectos, como estado de saúde atual, estadiamento da doença e expectativa de vida. Em casos de tumores de baixa agressividade, há a opção da vigilância ativa, na qual periodicamente se faz um monitoramento da evolução da doença, intervindo se houver progressão da mesma.

O câncer de próstata não apresenta sintomas em fase inicial?

VERDADE: Em estágio inicial, quando as chances de cura beiram 90%, a doença não apresenta qualquer sintoma e quando alguns sinais começam a aparecer, cerca de 95% dos tumores já estão em fase avançada, dificultando a cura. Nesta fase, os sintomas são dor óssea, dores ao urinar, vontade de urinar com frequência, presença de sangue na urina e/ou no sêmen. Geralmente, os principais sintomas relacionados à próstata são devido a hiperplasia prostática, crescimento benigno da glândula, como jato urinário mais fraco, sensação de urgência miccional ou esvaziamento incompleto da bexiga, entre outros.

Fonte: Centro de Oncologia

Post by floripana