Crise turbina seguros para cobrir inadimplência devido à perda do emprego

26 de outubro de 2015

floripana

Novidades

0

Crise-seguros-floripanaA crise econômica e o aumento da taxa de desemprego, que alcançou a casa dos 8,3{e6485db80be992963847469c36a6e4997f02239a3e7fb7d49359ad7d14ada16b} no segundo trimestre de 2015, de acordo com IBGE, vem turbinando o mercado de apólices destinadas a seguro para perda de emprego. São seguros que arcam com o valor das prestações de um contrato, como crediário, mensalidade escolar ou aluguel.

Atrelados ao risco de perda do emprego, esses produtos não cobrem salários, mas pagam as contas por um tempo limitado.

Também não são oferecidos ao consumidor final diretamente. O cliente tem acesso aos seguros através das instituições que os oferecem, seja uma loja, um banco, uma imobiliária ou universidade.

O consumidor conta com a tranquilidade de ter a sua dívida quitada caso aconteça algum imprevisto. Para a instituição que concede o crédito, é uma garantia de que a inadimplência poderá ser evitada, no caso da ocorrência do sinistro.

E a adesão vem crescendo, especialmente agora em razão da instabilidade financeira. É uma proteção a mais ao varejo e também para o consumidor, porque garante o risco da inadimplência. Hoje, as pessoas têm maior consciência da perda: se eu morrer, ou ficar inválido, vou deixar uma dívida para a família. Da mesma maneira que o educacional. O seguro permite a continuidade dos estudos dos filhos, por meio do pagamento das mensalidades, pelo período do ciclo escolar contratado.

Aluguel em dia

É um o produto, oferecido em parceria com imobiliárias.

Ele funciona assim: ao alugar um imóvel, é oferecido ao cliente uma apólice para caso ele perca o emprego ou a renda. Ele pode acionar esse seguro para quitar alguns meses do seu aluguel. A cobertura protege a família do efeito de dívidas e da inadimplência, o que, no momento atual, é de grande relevância.

Cote conosco da Floripana Seguros e conte com o melhor atendimento.

Post by floripana

Deixe uma resposta